quinta-feira, 12 de abril de 2018

FRASES COM LÉXICOS GRAMÁTICAIS



DENTRE – Dentre todas as matérias, resolvi estudar mais a Análise de Texto.
DESDE – Estou aqui desde ontem.
TODO -  Todos os que estudam passam / Todos tem a mesma oportunidade
JUNTO A – Nós estamos cadastrado junto a associação
Á MEDIDA QUE / NA MEDIDA EM QUE – Eu melhoro á medida que estudo mais / que todos assinem a lista na medida em que forem chegando
POSSUIR / TER – Eu possuo muito dinheiro
SENÃO/SE NÃO – Pague sua dívida, senão será preso / eu sou o primeiro, se não o único a fazer isso
PORQUE / POR QUE – Porque tenho que estudar isso? Por que é necessário
SEQUER / SE QUER – Eu não vou sequer responder / se quer comprar o produto, compre.
MAU / MAL – Tem professor que é muito mau / e outros são até mal educados
ESTE, ISTO/ESSE,ISSO/AQUELE – Este é meu exercício / Isto serve para aprendermos / conforme conversamos, esse é o valor da compra / naquele dia ele pediu as contas do trabalho
AO INVÉS DE / EM VEZ DE – Ao invés de correr ele anda / em vez de ir para a aula, ele foi ao cinema
FACE A / FRENTE A – Aconteceu um assalto em frente da delegacia
ACERCA DE / A CERCA DE / HÁ CERCA DE – Não contei a ninguém a cerca do dinheiro / eu trabalho a cerca de mil metros de onde estudo / Há cerca de cinco anos aguardo por isso
HÁ / A – há dois dias fizemos as provas / só me formo daqui a três anos
HAJA VISTA – Haja vista os casos de roubo, a polícia vai intensificar as blitz

Por Joel S. Barros

quarta-feira, 27 de julho de 2016

DESCUBRA SE VOCÊ PENSA COMO CALVINISTA OU COMO ARMINIANO


ANALISE DE ACORDO COM O SEU ENTENDIMENTO BÍBLICO


1)      Você concorda que todos os homens nascem totalmente depravados, incapazes de se salvar por conta própria e sem a capacidade de escolher seguir a Jesus? SIM          NÃO

1)      Você concorda que Deus escolheu pela sua única vontade, dentre todos os seres humanos decaídos um número definido de pessoas que herdarão a salvação e o restante já estão todos condenados sem direito a julgamento algum ou questionamento? SIM              NÃO

1)      Você concorda que Jesus Cristo morreu na cruz não para disponibilizar a salvação a todos, mas somente para pagar o preço do resgate daqueles que já foram predestinados a salvação? SIM         NÃO

1)      Você concorda que o Espírito Santo convence somente os que já serão salvos, e que todos os que já foram predestinados a condenação, automaticamente são resistente não por sua vontade, mas por determinação divina?
SIM              NÃO

1)      Você concorda que todos que perseverarem na fé até o fim é porque já fazem parte dos que foram predestinados por Deus a ir para o céu, e que nenhum destes perderá a sua salvação, mesmo que queiram? SIM          NÃO


2)      Você concorda que todos os homens embora sejam pecadores, ainda são livres para aceitar ou recusar a salvação que Deus oferece por meio do sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário? SIM        NÃO

2)      Você concorda que Deus não predestinou ninguém a ir para o céu ou para o inferno, mas que pela sua Onisciência de tudo, Ele já sabe que os que serão salvos, são os que têm fé em Cristo Jesus? SIM      NÃO

2)      Você concorda que Cristo morreu por todos os homens e não somente pelos que já foram predestinados a salvação?    SIM          NÃO

2)      Você concorda que o homem é livre para escolher e decidir se quer seguir a Jesus ou não? E que por ter a capacidade de decisão e livre escolha ele será julgado pelas suas ações e poderá sofrer condenação eterna?
SIM           NÃO

2)      Você concorda que mesmo o homem salvo do mundo de pecado pela obra redentora de Cristo na Cruz, pode perder a salvação, caso ele não persevere nessa fé até o fim? SIM           NÃO


RESULTADO FINAL:

Se você teve mais SIM do que NÃO nos itens de número 1, então você pensa como Calvinista.
Se você teve mais SIM do que NÃO nos itens de número 2, então você pensa como Arminiano.

OBs.: Qualquer outro resultado diferente dessas duas condições você está sendo contraditório em seus pensamentos ou muito confuso em sua própria crença. 

VOCAÇÃO E PROFISSÃO



VOCAÇÃO:

Vocação é um termo derivado do verbo no latim “vocare” que significa “chamar”. É uma competência que estimula as pessoas para a prática de atividades  que estão associadas aos seus desejos de seguir determinado caminho. É uma inclinação, uma tendência ou habilidade que leva o indivíduo a exercer uma determinada carreira ou profissão. Também considerado um talento, uma aptidão natural, um pendor, uma capacidade específica para executar algo que vai lhe dar prazer.

PROFISSÃO:

            Atividade ou ocupação especializada, da qual se podem tirar os meios de subsistência; ofício, mister. Trata-se de um conjunto de atividades que requerem conhecimentos, habilidades e atitudes específicas relacionada a um campo do saber humano e que é remunerada.
            Uma das questões primordiais relacionadas à definição de profissão é que esta implica numa escolha, numa busca e numa construção gradual. Assim, ser um profissional resulta de um caminho individual e intransferível de adesão, produção e reprodução de conhecimentos, de processos e de papéis que nos levam, a nos reconhecermos e a sermos reconhecidos como competentes para exercermos um determinado conjunto de atividades, ou seja, uma profissão.


DISTINÇÃO ENTRE VOCAÇÃO E PROFISSÃO:

            A profissão distingue-se da vocação por visar, em primeira instância, à retribuição material. E a retribuição depende da competência e eficiência. Daí a sedução pelas especializações, de maneira que os mais competentes alçam os preços de suas atividades.
            Em muitos casos, a profissão levada ao extremo asfixia a vocação. Caminham lépidos pelas vias da sociedade profissionais bem-vestidos, impecáveis, esnobando aparência, com polpudos salários, mas vazios interiormente. O tempo de trabalho se mede não pelo desejo interior de servir, mas pela remuneração e pela necessidade de aumentar ainda mais o prestígio.

DESAFIOS PARA UMA RELAÇÃO ADEQUADA ENTRE ESPIRITUALIDADE, ACONSELHAMENTO E PSICOLOGIA PASTORAL



Exercício do trecho da revista:
CIÊNCIAS DA RELIGIÃO – HISTÓRIA E SOCIEDADE
Volume 8 • N. 2 • 2010 

ESBOÇO DO ASSUNTO

1.   Incentivo da faculdade EST para visitas a hospitais
1.1.   Uma conversa com pacientes e ente queridos
1.2.   Crítica quanto a dedicação da igreja aos oprimidos
1.3.   Perdas de fies pelo abandono dos mesmos nos momentos difíceis

2.     Momento da dor que leva o ser humano a reflexão
2.1.   Aconselhamento cristão deve ser voltado ao paciente
2.2.   Um aconselhamento sensível a todas as necessidades da pessoa
2.3.   Um aconselhamento sem apelar para soluções mágicas
2.4.   Só Jesus é o sujeito da cura em um aconselhamento
2.5.   O aconselhamento se dar em 3 níveis
2.5.1.    A parte do paciente
2.5.2.    A parte do conselheiro pastoral como facilitador
2.5.3.    A parte da Graça divina

3.    O conselheiro  aberto a: Psicologia, a Psicoterapia e a Psicanálise
3.1.  A questão espiritual está presente em todas as questões de sofrimento e conflito
3.2.  Ao invés de só comportamento humano, existe o fator fé
3.3.  O lugar do sagrado na terapia
3.4.  O paciente não quer só ser curado, mas ser salvo
3.5.  Fé e espiritualidade tem tudo a ver com a plenitude da paz
3.6.  Só existirá psicologia profunda se considerar o Homo religiosus

GLOSSÁRIO
Faceta – Pequenas faces ou ponto de vista de um objeto ou situação
Admoestação – Advertência ou observação crítica com o intuito de censurar
Signo – Símbolo de algo usado em substituição a outro
Biográfico – História de vida de uma determinada pessoa
Intrínseco – Que faz parte, essência, característico

RESUMO

O texto trata de uma questão pertinente ao aconselhamento pastoral, iniciando por uma experiência da faculdade EST, mas que diz respeito a uma realidade cada vez mais latente na sociedade, onde as instituições religiosas que deveriam fazer tal aconselhamento por excelência estão deixando muito a desejar, valorizando mais os participantes de cultos do que os necessitados. O texto enfatiza que tendo em vista que a grande maioria das questões são espirituais, o conselheiro  deve ter a consciência de quem é realmente o agente da cura, onde, embora as ciências relacionadas ao tratamento psicológico enfatizem os grandes teóricos, só existira Psicologia profunda se for compreendido que o homem é um homo religiosus por natureza, portanto, precisa de Deus e do fator fé para superar seus traumas: emocionais, físicos ou espirituais.

                                       Por Joel S. Barros